Medo, medo, medo!

fear

A palavra medo foi protagonista na minha última semana. Foi sublinhada no consultório, na roda de amigos, por colegas de trabalho e em algum momento eu mesma precisei lidar com ela. Medo, medo, medo.

O medo é necessário, ele chega a ser um termômetro para as nossas ações e reações. É natural senti-lo em situações novas, onde desconhecemos os riscos que estão envolvidos, ou ainda, em situações que são carregadas de experiências negativas vividas no passado. O medo nos deixa mais atentos, e passamos a agir com mais cautela e isso pode ser muito positivo. Ter medo de ser assaltado no centro de São Paulo, à noite e sozinho, é esperado, até mesmo pela quantidade de notícias que escutamos sobre a violência noturna vivida na capital paulista, mas achar que será assaltado a qualquer momento, já pode configurar uma neurose.

O medo não pode liderar a nossa vida e muito menos ser protagonista dela. Cada um de nós devemos ser o protagonista da nossa própria história.

É importante observar e interpretar o porquê sentimos determinados medos, e muitas vezes eles podem aparentar exageros e não demonstrar coerência, mas carregam simbolismos e significados. Por exemplo, por que sentimos medo de barata (aquele serzinho que podemos matar ao pisarmos nela)? E medo de altura? Ou do escuro? Ou de morrer? Ou ainda de amar?

Quantas pessoas tem medo de se envolver afetivamente  depois de viver uma decepção amorosa? Sim, existe um medo real de se machucar novamente, de viver uma nova frustração ou ainda de ser abandonado, se foi o caso. Nessa situação, para entrar em uma nova relação, é preciso curar as feridas e ainda se pacificar com este passado. E para isso, cada um tem um tempo diferente para superar e fazer o luto da relação, que pode ser de  1 mês, 6 meses, 1 ano ou um pouco mais…. Agora, sofrer uma vida inteira e sentir medo uma vida inteira, te parece bom?

A nossa reação frente ao medo diz muito sobre nós: Podemos praticar a evitação ( por exemplo, se você tem medo de voar de avião, você poderá excluir da sua vida a experiência de conhecer novos lugares que necessitem utilizar desse meio de transporte = evitação), podemos querer controlar tudo e a todos (será que é possível controlar a tudo e a todos mesmo ou isso é uma ilusão?), ou ainda podemos responsabilizar os outros pelos nossos problemas. E qualquer desses comportamentos podem ser traduzidos em sofrimento.

Sim, o tema é vasto, há muito que se falar sobre, mas se o medo não está te impedindo de enfrentar os desafios do dia a dia, não se desespere, neste caso, ele está sendo um sistema de alarme e atenção para que você tome os cuidados necessários para manter a sua segurança. Mas, se algo que você teme está fazendo com que você se imobilize e sofra, então é importante buscar ajuda.

Como já disse, este tema é vasto. Você tem medo de algo? Quer que eu aprofunde o texto para um tema mais específico ainda. Escreva para mim, dê sugestões (não tenha medo..)

Paz e Bem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s